quinta-feira, outubro 26, 2006

PARA UM POETA

PARA UM POETA

FEITO POR ANTONIO VIÇOSO MAGALHÃES

Novo era o Reino e o Mensageiro antigo
Sentiu que após as derradeiras pontes,
A sua voz tinha um sabor de trigo
E o seu olhar transpunha os horizontes...

Via o mundo liberto do castigo
Dos mesmos rumos pelos mesmos montes,
Pois, para sua sede de perigo,
O coração se extravasara em fontes...

Agora, o seu corcel fere a paisagem,
Traduz em outros cantos a mensagem
Dos Reinos que, sozinho, vislumbrou...

Seu próprio itinerário é uma surpresa,
Pois ele empunha o facho da beleza,
Nas vias que o seu verso iluminou!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home